Uma História da Diocese – Jornada

Jornada

Escrito por: Lucas Alves

Os dias se passaram e o Padre Matheus estava conturbado com as pequenas aglomerações que formaram na Igreja após o incidente envolvendo Amy e Dona Lúcia. A vizinhança soube do episódio e começaram a frequentar mais a Igreja. Em um dia desses, o Padre tinha ido descansar enquanto Amy arrumava e organizava o local… Neste momento, ela houve alguém batendo na porta dos fundos. Não era nenhum devoto, pois todos entravam pela frente da Igreja, já quem entrava pelos fundos, eram conhecidos e amigos. Mas o horário já era tarde demais, ficou meio preocupada em quem deveria ser naquela hora da noite!

Quando Amy, abre a porta se depara com uma pessoa que não imaginaria ver tão tarde.

— André! O que houve? Diz Amy assustada.

Meio sei lá, e sorrindo com os olhos… André responde.

— Calma, Amy, parece que viu um fantasma.

Mantendo a pose de menina forte, Amy cria o seu olhar forte e profundo.

— É que eu não esperava visitas, o que desejas?

Rapidamente em um gesto impulsivo, André avança contra o corpo da Amy, segura ela com força pelos braços, neste mesmo instante, aproxima sua boca dos ouvidos, e sussurra…

— Naquele dia, eu perguntei se gostava de mim… E esqueci de lhe dizer o que sinto por você. Quer ouvir?

Amy se sentindo atraída pelo momento, consente com a cabeça. Ele diz:

— Eu sou jovem, aliás, somos jovens, e mesmo assim, afirmo, eu te amo, Amy. Eu não consigo mais abrir meus olhos e ver você na minha frente, sorrindo e mexendo no seu cabelo, quando sinto frio, desejo seus calor para me aquecer, eu preciso de você, alivia a dor do meu peito, e agora, me de seu amor.

Ao terminar de falar em seu ouvido, olha nos olhos da Amy, que não conseguia se defender, aproximou seus lábios aos dela, e a beijou. Ela, rendida ao que estava acontecendo, acaba cedendo. Foi o primeiro beijo que ela recebia de alguém… Foi tão intenso e único.

Logo depois do beijo, Amy empurra André, alega que ele enlouqueceu e pede para ir embora, antes que o Padre apareça… seu amigo acaba cedendo e vai embora feliz e radiante. Amy, fecha a porta, coloca sua mão em seu lábios, sente o gosto dele na sua boca, vai para seu quarto e dorme, e sonha com aquele momento várias vezes.

Ao acordar, percebe que o Padre não tinha levantado, vai no seu quarto, e ele não estava lá. No caminho da cozinha encontra André, que tinha acabado de chegar, parecia meio preocupado, foi se desculpar pela noite anterior. E antes de discutirem… Ouvem um grito. Era familiar, Ágata, mãe do André. Quando chegam na parte do confessionário, ficam abismados com que veem… Padre Matheus estava morto e pregado na Cruz da Igreja!

“O beijo da noite, deixa uma jornada de lembranças e ao amanhecer, expõe o veneno da vida; a MORTE”.

Fim.

Deixe uma resposta