A felicidade dos outros

Imagem1

Escrito por: Anderson Torquata

Olá, estou aqui mais um dia, sob o olhar sanguinário do vigia… Kkk. Estou novamente aqui falando coisas que eu penso e amo dividir.

Vocês conhecem aquele famoso auto questionamento que todos um dia já fizeram? “Porque a grama do vizinho é sempre mais verde?”

Acho que todo mundo conhece, a verdade é que ele explica uma coisa que não tem muito a ver com o seu significado popular.

Existem pessoas que simplesmente não se permitem a felicidade que merecem por almejar a felicidade do outro, mas esse não é o maior dos problemas, o maio deles são pessoas que medem a felicidade dos outros por sua própria felicidade, e acabam criando opiniões e pré- julgamentos sobre um tipo de pessoa ou personalidade que na grande maioria das vezes não é justo.

Se uma pessoa sem muitos recursos, que no entanto possui o suficiente pra si, se julga feliz, ela é tomada como conformada ou acomodada em relação ao sucesso pessoal. Personalidades diferentes se cruzam dia após dia sem aprender sobre a felicidade uma da outra, isso é tão comum desde sempre, que a felicidade ideal virou senso comum.

Senso comum? Oi? Acumaé?

Exatamente, pra ser considerado lucidamente feliz, você meu amigo leitor, você do outro lado da internet, é você mesmo, precisa estar dentro de padrões previamente determinados pela sociedade. Eu costumo chamar esse acordo de contrato silencioso, ninguém criou, ninguém aceitou mas está aí e todos o praticam.

Por exemplo, o nosso famoso amigo escroto, aquele cara sem noção que todos dizem que não tem semancol ou não se toca do quão escroto é, esse cara ele é feliz, feliz consigo mesmo no modo mais puro de felicidade que existe, mas por ser diferente dos demais ele deixa de ser feliz pra ser escroto, sem noção e zoado.

O que eu nunca entendi é o porque esse cara tão de bem com a vida não pode ser aceito como é? Porque aquele cara que se você se aproximar e conhecer melhor vai ver que é muito inteligente e bem normal, não pode ser apenas mais um ser humano, porque ele tem que ser escroto, zoado e etc… ?

A resposta? Não sei, mas meu palpite e opinião é que quem é diferente demais não tem o direito de ser feliz em paz. É incrível como um cara que não tem a beleza determinada pelo senso comum não pode namorar uma garota que a tem, ou vice-versa? Dentre outras coisas que destacam a falta de conhecimento da felicidade dos outros, acredito que a mais gritante seria a a própria felicidade.

Algumas pessoas não se permitem a própria felicidade, por ela não corresponder à felicidade comum e assim a pessoa em sua felicidade passa a ser o outro, acabando por não aceitar a si mesma, ou melhor, a sua própria felicidade. Eu fui assim por muito tempo, eu vivia num meio onde ler e escrever não era o mais legal a se fazer, e por isso deixei de expor minhas ideias por muito tempo, e acreditem eu já amava escrever antes.

Por fim, o que eu queria dizer é que a felicidade dos outros só é dos outros porque você, eu e todos nós não permitimos que ela também seja nossa. A felicidade dos outros é totalmente aceitável quando se pensa dessa forma, ela só tem um erro, ser dos outros, ela tem que ser nossa, e não dos outros.

Sonho com o mudo em que a felicidade do outro não seja um assunto a ser discutido, e sim um sentimento a ser compartilhado.

“Um viva aos diferentes que não são diferentes para outros diferentes”

Deixe uma resposta