Amor, estou com medo…

Você ainda não sabe que te amo. Não sabe o quanto te quero bem. Se fosse até ano passado seria difícil, mas não como agora.

Sabe, você enxerga quem sou por fora – uma menina moleca que parece meio sapatão de acordo com as regras que a sociedade dita. Você nem imagina.

Sabe, eu tenho um cabelo colorido que me ajuda a mostrar quem sou e a que vim. Tenho também tatuagens que mostram a minha história – ansiedade, família, sororidade, uma tentativa de suicídio e a calma que escrever me traz. Uma em específico mostra minha identidade – tronco, galhos e raízes LGBT+, que nunca foi mais sincera.

Sabe, nesse ano aprendi muito sobre a vida, e vi que desde a adolescência na verdade sou uma pessoa não binária, mas não sabia. Não conhecia e depois tinha medo. Medo de não ser entendida, medo de não ser respeitada, medo de não ser uma pessoa amada.

No dia que minha ficha caiu, faltou o ar. Meu coração saltou em um ritmo diferente. Sabia que nunca mais seria a mesma pessoa e o quão assustador o futuro poderia ser.

Sabe, eu só queria gritar – mas as palavras não saem, elas entopem minha garganta, sufocam, me afogam. Enquanto minha voz suplica, unhas rasgando a pele tentando externalizar a dor.
Me descabelo, caio no chão… o medo de amar, o velho hábito de fugir mais forte ainda… como você vai poder me amar? Se as pessoas amam quem está numa caixa… homens e mulheres amando apenas homens e mulheres.

O peito dói e me falta o ar, as lágrimas caem e bem nessa hora você aparece amor. Tento me esconder, tento secar os olhos, tento desaparecer.

– Eu não sou quem você pensa.
– Só me importa você ser assim, apenas você.
– Mas eu não estou nas caixas, eu…
– Eu sei.
– Você não faz ideia. Dói.
– Me deixa ajudar a parar de doer.
– Eu tenho medo.
– Eu vou estar aqui.
– Eu não sou a menina que você acha…
– Está tudo bem, eu amo seu jeito diferente. Vamos começar de novo… Como te chamo?
– Jack.
– Ok, eu te amo Jack.

O choro aumenta enquanto te abraço.

– Jack? Não foge, tá bom?
– Okay, amor.

 

Escrito por: Jack

3 comentários em “Amor, estou com medo…

  1. Que coisa mais linda de se ler. Tão intenso, tão cheio de sentimentos. Consegui imaginar a cena de tão profundo. Parabéns. Beijo

  2. É difícil viver um sentimento sufocado, o medo da rejeição machuca e faz sofrer. O texto está muito bonito, consegui sentir toda a angústia guardada no coração da pessoa apaixonada.

Deixe uma resposta