Nova era

Nova

Escrito por: Anderson Torquata

Quase todos os textos que escrevi neste blog foram começados no metro, o recurso da nuvem e os celulares smartphones mudaram meu jeito de levar a vida há alguns anos.

Primeiro porque nasci antes do real existir por isso peguei um pedacinho da era sem celular, logo após eu passei pelo vício do jogo da cobrinha o famoso Snake, e entre outras etapas estou aqui hoje com meu smartphone. Eu não fazia ideia de que um dia eu iria escrever sobre isso mas está aí, escrevi.

Muitas pessoas passam a vida tentando evitar que mudanças aconteçam, gastam seu tempo criando discursos baseados em nostalgia e a velha expressão” no meu tempo … “ usada com gosto por quem tem medo do novo, medo da evolução, enfim, medo do agora.

Coisas como dizer que a tecnologia está afastando as pessoas é o que cria o ódio do novo. Sabe as pessoas precisam aprender a utilidade de cada nova facilidade tecnológica apresentada, como por exemplo o cartão de crédito. Ele por sua vez é uma coisa que não é nova e foi tomada pelo ódio do novo, quando na verdade não é o cartão o grande vilão e sim o uso das pessoas.

Há algumas horas eu estava fazendo um lanche e vi uma pessoa comprando algo que não dava dez reais e pagando com crédito. No final do mês a culpa vai cair no cartão disso eu tenho certeza.

Jogos, computadores, celulares, impressoras, micro-ondas, máquina de lavar roupa, máquina de lavar louça, enfim a internet a era virtual completa, são coisas que podem ser ou inovação ou podem passar a ser o vilão a escolha é de quem usa.

Sua vida e suas informações são suas, use de forma correta e prudente não deixe de se recriar e viver este novo tempo, essas novas coisas, afinal onde eu estaria hoje se tivesse parado no tempo na época em que jogava Snake?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *