Droga

Drogas
Desesperança!
Peitos que ardem,
Corações que gemem,
Rins que se perdem,
Mãos que tremem.
Eu que ainda sofro,
Ao olhar teu rosto,
Eu que ainda amo,
Mesmo com tanto desgosto.
Porque o corpo com câncer,
Não sofre nem um pouco,
Perto da minha alma,
Que grita feito louco!
Pedindo por socorro,
Querendo um carinho,
Dizendo assim eu morro,
Ao seu lado e sozinho!
Escrito pela nossa convidada: Aurora Neide da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *