SETE PECADOS – AVAREZA

222222

Vi que minha irmã Gluttona saiu com um cara que eu tava afim, fiquei furiosa por não ter sido eu, mas como não tive ele pra mim vou procurar o próximo da minha lista.

Procurei em todos os lugares e avistei o barman, um cara lindo alto cabelos castanhos, olhos claros. Fui chegando perto dele.

— Olá! Me dê um Smirnoff. — pedi encarando ele.

— Só isso? — perguntou com um sorriso meigo.

Olhei para os lados para ver se algumas de minhas irmã estavam por perto.

— Quero mais… — falei.

— Então, o que você quer? — perguntou olhando pra mim e dando um sorriso afetuoso.

— Quero que você saia daí, e VENHA COMIGO, estarei lá em baixo te esperando.

— Hum… Danadinha… Vou sim! — me encarou — Qual seu carro?

— Um “AUDI Q7” todo branco.

Desci e fiquei no carro a espera do barmen.

Liguei o som, estava tocando “Britney Spears – Womanizer”

Quando me virei o Barmen entrou no carro.

— Onde vamos? — perguntou.

— Vamos para muitos lugares e ao mesmo tempo para nenhum lugar!

Encarei ele e beijei-o acariciando. Me virei e dei a partida. Dirigi até uma praça deserta com um lago bem a frente.

— Lugares calmos para altas loucuras. — falei acariciando seu corpo.

Ele começou a me beijar e acariciar meu corpo tocando em cada parte sensível me dando um prazer imenso, um desejo de querer. Retirei suas mãos do meu corpo e sai do carro e ele veio logo atrás de mim.

Pegou-me de jeito, e me jogou no capo do carro, o som e o vento entre as árvores e meu gemido de prazer.

— Você me quer? — perguntou

— Quero agora, amanhã, depois pra todo o momento, quero você! —falei com uma de suas mãos puxando meu cabelo e a outra entre minhas coxas. — VOCÊ É MEU!

— Sim, sou seu!

Rasguei sua camiseta, e mordi seu peitoral malhado com uma tatuagem de um dragão que terminava no peito descendo até as calças.

— Que linda tatuagem, até onde ela vai? — perguntei o obvio querendo a resposta que eu mais teria.

— Tire minhas calças e verá ver até onde ela vai. —seu sorriso era sedutor.

Comecei a retirar sua calça e aranhando seu peitoral. Ao retirar vi aquela saliência em sua cueca vermelha. Olhei para seus olhos e um sorriso safado.

— Que lindo dragão. — falei acariciando vendo sua tatuagem de dragão indo até sua coxa.

— É! Ele é todo seu!

—Vou sim, usar e abusar pode ter certeza.

Começamos a se pegar ali mesmo no capo do carro a noite toda, mordi seu corpo arranhei suas costas, me chupava toda, um prazer inexplicável só meu e de mais ninguém.

Escrito Por: Lucas Alves

Sigam nas redes:

InstagramFacebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *