Essa deveria ter seu nome, mas você não está aqui.

Hoje eu me travesti na música “Essa deveria ter seu nome, mas você não está aqui.” da banda brasileira E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante, não apenas me travesti, como também me embriaguei, flertei com ela e fizemos amor na minha cama onde você nunca deveria ter passado.
 
A falta de tempo é extremamente compreensível, a constante ausência e o mínimo de esforço pessoal para manter uma relação não. Qual vai ser a próxima desculpa? A chuva? A falta de vontade de encarar a realidade ou a sua falta de afinidade atualmente sobre as longas conversas que nós tínhamos?
 
Nós não temos que conviver com pessoas fantasmas, não temos que depender de ninguém afetivamente. Não aceite menos que reciprocidade, mesmo que esse preço seja a solidão! Uma hora ou outra vai chegar alguém e não vai ser em um cavalo, talvez seja naquele rodizio de Sushi e queira declarar solidão a dois, nunca se sabe importante é estar aberto ao novo.
 
Nos dias que me sinto mais carente gosto de sair de mãos dadas comigo mesmo, pego meu livro, meu óculos, caderno, a garrafa de vidro com tampa branca vou para algum parque ou para o centro velho ler e escrever sobre os meus sentimentos e é assim que saio com a pessoa que melhor me satisfaz. Eu mesmo.
 
Minha melhor dica que me deixa em períodos de grande e boa sanidade mental é: Procure sentir se bem com quem você é e não dependa afetivamente de ninguém além de você mesmo.
Escrito por: Lucas Fernandes

One thought on “Essa deveria ter seu nome, mas você não está aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *