Caminhando sobre os espinhos

Um conto de uma verdade! Uma verdade, que virou conto… Assim começa a história de uma menina pura, doce e inocente sobre as coisas da vida, se imaginava madura mas ainda era apenas um vaso só com as folhas esperando seu momento para florescer.

Sonhava em encontrar alguém queria um amor que realizasse esse “sonho” ser feliz e ter uma família, como são nos filmes de romance, onde sempre termina com um felizes para sempre.

“A vida é cheia de espinhos menina e para não se machucar tem que saber encaixar seus pés dentro dos espinhos”

Ele disse que a amava assim, como a conheceu, seu jeito doce o encantava, mal sabia a menina que era a possessão que ele desejava.

Começou um não aqui, um ciúme bobo dali uma agressão moral que sempre vinha acompanhado de um eu te amo no disfarce da prisão que ela começava a viver, a fantasia que ele criara para manipular a situação sobre ela.

Ela? Não conseguia enxergar de fora, se quer, ouvir as pessoas, família e amigos para ela estavam todos errados ele não era assim, imagina “é o homem da minha vida”… A menina estava andando sobre os espinhos. Primeiro a agressão moral, vadia, onde você estava? E essa roupa? Acha que está bonita?

Então começou a ficar mais Difícil para ela defender o amor que a mesma dizia o tal dito ter, portanto vieram, proibições as horas marcadas para chegar em casa o controle de com quem estava, onde estava, “essa roupa você não vai usar”, “para de ser vadia” os xingamentos eram desse nome para baixo, ela se sentia cada vez inferior aquela situação, não fazia a mínima ideia de como sair dessa, o medo e a tristeza a fazia chorar todas as noites quase em silêncio, baixinho para ele não ouvir.

Até o dia em que o cansaço da prisão que a mesma vivia a fez tirar a venda de seus olhos sobre sua situação, a solidão virou sua maior força para dizer BASTA! Naquele dia ela o peito e disse: Chega! Pegou suas coisas e sobre lágrimas foi embora.

Ele mais uma vez foi atrás dela com a promessa que mudaria, mas suas palavras já não surtiam mais efeito sobre ela, estava forte, tão forte que o medo não tinha mais espaço.”Você não vai mudar”.

Ela chora muito… Dói e como dói, como se não bastasse quatro anos, desmoralizada, destratada e humilhada, começou as perseguições, ameaças a descoberta de uma tradição um fruto dessa traição, uma moça grávida de um homem que não tem o mínimo saber de como se trata uma mulher; ele a procurou por várias vezes dizendo ser ela o amor de sua vida, implorando para voltar, ao dizer que agora era um homem diferente.

Ele não era diferente.

A mulher… Que ele pisou, maltratou e humilhou, não existe mais… Esse medo virou força, coragem e um acúmulo com a vontade de ser feliz, ela nunca foi dele, um relacionamento não faz de nós propriedade de ninguém, somos todos livres filhos de uma democracia que nos trás a liberdade de viver como quiser, onde quiser e usar a roupa que quiser.

Suas ameaças hoje não surtem mais efeito, dois boletins de ocorrência, uma investigação aberta e um pedido de não! Nunca mais toque em mim.

Hoje é a mulher que aprendeu depois de muitas feridas a andar encaixando seus pés sobre os espinhos, juntou os cacos que ele deixou e se refez.

Hoje o amor sorriu para ela, a fez entender que nunca é tarde para os recomeços estão reescrevendo sua história, sem dores, sem lágrimas (exceto as de alegria) sem medo e sem prisões. “Ela aprendeu que dentre todos os amores da vida, o maior é aquele que você sente por si próprio, porque esse é regador do vaso de sua vida e com toda certeza ele vai te fazer florescer”.

Você é mais forte do que imagina ser!

Você consegue!

Você pode!

 

Escrito Por: Karen Tatiana

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta