Eu escolhi a liberdade

Nessa disputa por você eu to entregando o jogo: é eu to abrindo mão, por que algo que tende ser disputado significa que não é seu, estou te devolvendo a prateleira da vida e que você se encaixe a quem te pertence.
Aliás você nunca foi meu, eu tentei te fazer ser, mas não é assim que: “A BANDA TOCA” tem uma coisa chamada reciprocidade, vontade e já ficou claro pra mim quais sãos as suas. Pode ser com alguém por ai mas uma certeza tenho: esse alguém não é eu.

To abrindo mão de você, te deixando seguir afinal é assim que deve ser; nossa história não teve um começo, meio e fim na verdade acho que nem devo chamar de história, porque, não houve uma, talvez por isso, não seguimos a ordem dos fatores. O que fez você seguir em frente com tudo, sem se importar em como me sentia, mas no fundo sei que pra você eu fui saída de seu descanso e repouso mas hoje passarinho, minhas asas cresceram e eu resolvi voar, ir de encontro a minha liberdade e deixar você na sua.

Foi bom enquanto pude deitar minha cabeça no seu peito e ouvir as batidas pesadas do seu coração foi bom ser seu repouso, eu também descansei. Obrigada!

Estou voando pra vida, quem sabe o que ela me reserva?

Não sabemos ao certo o que vou encontrar pela frente, mas uma coisa eu sei… Eu sou a doce garota que no ar da madrugada respira seu mistério no meu último choro ao seu lado te dizendo em inúmeras formas todos os meus pensamentos escrevendo em poesia minha doce e intensa forma de amar e por fim te falar que você não foi só meu acaso ou só uma coisa de pele. Você foi a primeira experiência no tabuleiro desse jogo e, não sei qual foi o meu prêmio mas em certo descobri jogando que a liberdade sempre será meu destino.

 

Escrito Por: Karen Tatiana

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta