Oliver e Heloísa – Cartas de Natal durante a guerra

Natal de 1942

 

28 de Outubro de 1942

Querida Heloísa,

Hoje nosso pequeno Pietro completa 5 meses de vida e tenho certeza que sonhei com ele. No meu sonho eu entrava em um quarto onde no cantinho próximo a janela tinha um pequeno berço, e dele vinham pequenos resmungos. Quando eu me aproximei do berço lá estava um lindo menininho cheio de sardas, iguaizinhas as suas. 

Quando ele olhou pra mim ele sorriu e esticou as pequenas mãozinhas para que eu o pegasse. O sonho foi tão real que até agora eu sinto como se realmente o tivesse pegado no colo. São sonhos como esse que me motivam todos os dias. Não há um dia sequer que eu não veja alguém morrer, seja ao meu lado em combate ou nos postos médicos, vocês são a única razão para que eu não enlouqueça ou não me entregue ao inimigo. 

Espero que dessa vez você receba essa carta antes do Natal, pois infelizmente esse será mais um Natal em que não estarei presente. Diga ao nosso filho que eu o amo muito e que prometo compensar a minha ausência quando voltar. 

Amo vocês, Oliver!

2º carta resposta

 

19 de Dezembro de 1942

Querido Oliver! 

Graças aos céus sua carta chegou antes do Natal, no entanto creio que você só receberá a minha depois, mas mesmo assim quero que saiba que na noite do dia 24 de Dezembro quando o relógio bater meia noite, eu estarei olhando para o céu em busca da estrela mais brilhante e assim que eu encontrá-la lhe desejarei Feliz Natal.

Tenho certeza de que você sonhou com o nosso filho, pois ele realmente tem sardas iguais as minhas, no entanto ele se parece muito com você, puxou até mesmo a sua personalidade calma que tem o dom de me dar paz nos dias em que eu sou uma verdadeira tempestade. 

Oliver, pelo amor que você diz ter por mim e pelo nosso filho, por favor, não desista, eu não conseguiria continuar sem você, mesmo longe você continua sendo o meu porto seguro. Quando tenho medo é em você que eu penso e quando me sinto só, me lembro dos nossos momentos juntos. 

Você é minhas inspiração e esperança para dias melhores, volte para nós!

Eu te amos, Heloisa!

 

Escrito por: Rosângela Carvalho 

Deixe uma resposta