SUPEREGO – 4º PARTE

ego

Escrito por: Edson Rocha

Sentei-Me em Meio a Bagunça, ao Pó, aos Escombros Achando Que eu Iria Aparecer… Nenhum Sinal. Até Andei Pelos Comados vazios, mas, Nada Como Eu Pensei Estavam Realmente Vazios. Fui Ate o Ultimo Andar e Fiquei Sentado na janela Pensando: Será Que Se Eu Pensar Em pular Ele Vem? Claro Que Não, Talvez Eu Devesse Cortar os Pulsos, Com Toda Certeza ele Vira… Que Ridículo Vou me Entupir de Remédios, Pois Quando estou Delirando é a Hora Que Ele Sempre Aparece. Já Com Certeza do Que Faria, Fiquei na Janela Observando As Pessoas Que Mais Parecem Uns Porcos, o Que Será que Elas Pensam? Quais Suas Metas e Sonhos? Parecem Tão Vazias.

De Repente Ouço Algo… Viro e Me Vejo Parado Na Porta Com a Mão No Ombro.

–Caraca, Você Veio Mesmo.

–Claro! Até parece Que Queres me matar. Respondi Ainda Com a Mão No Ombro.

Pergunto Ainda sentado na Janela. –O Que Houve Com Seu Braço?

–Ainda Pergunta! Quando Você Não está Legal Demoro Pra Chegar ou Nem Consigo, Porem, Hoje Foi mais Difícil Você Fica só Pensando Em Besteiras. No Caminho Para Cá Entrei Em Colisão com tantas Memoria e Pensamentos Pesados Que Vinham Em minha Direção Como Laminas.

Respondi Enquanto Me Descia da Janela. –Eu Sei, mas, Você sabe Que somos Assim, Estamos Doentes. Agora Venha Aqui Para Eu Ver Este Braço.

Enquanto Caminhava Fui Levantando a Manga Da Camisa e Dizendo: – Eu Sei Prince, Vim Para Tentar Mostrar a Cura. Dei Um Grito AAIII!!! Quando Ele Pôs a Mão No Meu Ombro.

Assustei-Me Com o Grito e Disse: –O Que Foi? Nem Está Machucado Aqui!

Imagino Que eu Fiz a Maior Cara de Sonso e Disse: – Como Sou Idiota. Sou Seu Superego, Não Fico Ferido Fisicamente e Algo Interno como Uma Ferida No Ser… Na Alma. Não Quero um Prince Perfeito, Quero Só o Prince Sendo ele Mesmo. Assumindo Suas responsabilidades, Tendo Controle e Acima de Tudo sendo o Mediador do Bem e do Mal Que me Atormenta Enquanto Não Estou Acordado.

Tirei a Mão Dos Seus Ombros e Respondi: – Desculpe se Estou Te Ferindo, Você Melhor Que Ninguém Sabe Que Estou Tentando. Não Quero Machuca-lo de Modo Algum.

Abaixando a Manga da camisa Disse: – Não Se Importe Em me ferir Isso Me Torna Mais Forte, Machucados Tendem a Cicatrizar-se e Sarar com o Tempo. Você Tem Que Tomar Cuidado Para Não Me Matar! Segurei No Meu Pulso e Falei: – Quando Eu Morrer, Seus Olhos Não Terá Mais Brilho, Este Pequeno Vazio Que Sente Vai Dominar Todo Seu Ser… Não Se Preocupes Quando Eu Morrer Você Saberá.

Assim Que Ele me largou Voltei Ao Ponto de Partida. Estava Sentado Na Bagunça De um Comodo Cheio de Pó e Escombros e Sozinho, Assim Permaneci Por Um Longo tempo, Até Que me Levantei e Disse: Tudo Bem Não Te Procuro Mais.

Curta nas redes sociais:

DIVEins divefca

Deixe uma resposta