Tic tac para fazer você sorrir

O dia começou com um friozinho gostoso e um sol tímido aparecendo. É engraçado porque o sol já não parecia o sol.
E lá estava ele, parecendo uma pérola que a cabra de sair de uma ostra.
Havia muitas coisas a fazer naquele dia, mas em uma dessas tinha certeza que seria a melhor parte do meu dia. Então eu começo a me arrumar, levo um pouco de tempo até sair de casa, eu tomaria café da manhã no meu local de trabalho.
(…)  Sempre tinha problemas, sempre tinha que resolver os problemas!
Mas e que horas são? Será que já havia chegado o meu momento? Será que já passara das seis horas?  Uma pequena observação sobre mim: É que eu nunca aprendi a ver as horas quando ela está em 24 horas. Eu sempre fui do contra e nunca tive na verdade vontade de aprender… Até aquele dia!
O ponteiro do relógio parecia não estar com vontade de trabalhar. Sabe quando você quer muito uma coisa, e parece que o mundo não ta te ajudando de certa forma? Era apenas o que eu imaginava naquele dia.
Mas de repente são seis horas e eu tinha uma das coisas mais importantes do meu dia prestes a acontecer.
Eu iria ver, assim de perto, eu iria sentar ao lado da pessoa que talvez já fosse o grande amor da minha vida.
Vamos rebobinar um pouco de volta.
Nos conhecemos em um aplicativo de relacionamento. Quem nunca?  Acontece que sempre havia alguns certos desencontros.
Eu apenas tinha o visto por fotos. Mas conversávamos muito durante o dia por aplicativos de mensagem.
O nome dele é segredo, eu ainda não quero falar por enquanto. Mas logo vocês vão descobrir.
Certo dia ele havia-me dito que sabia onde eu morava e que passara sempre por perto quando seguia rumo ao seu trabalho, mas acontece que eu nunca tinha o visto. E aquilo me deixava com mais vontade de poder velo.

“Meu encontro estava marcado para as 18:30”, mas vocês se lembram da parte que eu não sei ver horas quando ela está em 16, 17 ou 18 horas? Foi exatamente o que aconteceu. Nós íamos no cinema aquele dia, e eu acabei por pensar que 18:30 seriam sete e meia de noite. Não é longe de onde trabalho até o cinema que iríamos.
Eu estava muito feliz e talvez por isso não tenha prestado muita atenção nesse pequeno detalhe de horário.

E para ser mais claro eu sempre contava disfarçadamente nos dedos.
Seis horas é o meu horário de largar o serviço, o trajeto de meia hora seria mas que suficiente para chegar há tempo, com direito a comprar pipoca e refrigerante.
Ficamos conversando enquanto eu saia do trabalho para ir ao seu encontro, ele já havia comprado os ingressos e a seção começaria as seis e meia, (19:30 na minha cabeça).
Tudo certo para mim por enquanto, e logo começaram a chegar outras mensagens, ele perguntou diversas vezes se poderia mudar a seção para mais tarde, para próxima que seria às nove (21:00), mas eu continuo falando para ele que não havia necessidade porque eu chegaria há tempo.

Certamente ele não estava entendendo nada porque já eram mais de seis e meia. Mas ele aceitou o fato que eu estava apenas indo ao seu encontro.
Cheguei exatamente as sete e meia. Uma hora atrasado.
Ao entrar no shopping eu o cumprimentei com um beijo leve, mas que foi dado com muito amor e foi tão lindo ver seu sorriso. Seguimos direção ao cinema, entramos na sala e o filme era um de terror “que por acaso já estava passando”. Mas porque será não é?  Só ao sentar na cadeira e perceber que já estava passando o tal filme foi que eu parei para pensar, e contei nos dedos.

Eu não tinha entendido nada desde o começo. E como eu tinha achado que 18:30 seriam sete e meia? Deus eu só queria desaparecer e fingir que nada tinha acontecido.

O bom é que ele entendeu, eu tinha-me confundido. Eu não conseguia parar de rir, eu queria-me jogar da escada e contar para todo mundo que estava ali naquele momento o que eu tinha acabado de fazer. Como essa história de amor começara de uma forma tão inusitada.
Acontece que eu optei por não ver mais o filme depois da metade, e então saímos e resolvemos conversar e contar sobre nosso dia.
Enquanto eu segurava sua mão eu sentia que ele seria a pessoa certa para mim, e só depois de um tempo resolvemos voltar juntos para casa
Ele é tão lindo. Sou muito sortudo em tê-lo comigo.
Uma carta de amor para o meu amado Lucas Alves.

 

Escrito por: Lennon

9 comentários em “Tic tac para fazer você sorrir

  1. mdssss como tu confunde uma coisa dessas criatura?!! não vou julgar, eu conto tudo nos dedos, mas, não tenho problemas com horários, o mais lindo é que seu encontro deu certo no final de tudo, apesar do atraso u.u

  2. Que fofinho esse encontro! Que bom que deu tudo certo e ele foi compreensivo. Foi engraçado essa confusão das horas, mas pode acontecer com qualquer um. Bjs!

  3. Mesmo com esse contratempo, ainda bem que deu tudo certo e vocês se divertiram, isso é o que importa. É normal essa confusão que fazemos com horário.

  4. Aaahh gente que história mais linda da vida. O primeiro encontro a gente nunca esquece não é mesmo? Mas fica a pergunta: Já aprendeu a ver as horas sem se confundir? É meio confuso mesmo, mas você consegue! Bj grande

  5. Olá,

    Que carta de amor mais linda, seu amado deve ficar muito feliz em lê-la. Confesso que nunca tive problema em confundir as horas, as a sua confusão me proporcionou boas risadas, fiquei rachando lendo. Mas, ainda bem que ele compreendeu que você apenas se confundiu e que disso nasceu uma grande história de amor. Espero um dia encontrar algo assim!

    Beijos!

  6. Eu me identifiquei com a parte do atraso pq sou igual,mas as melhores coisas da vida e momentos acontecem de forma inusitada.O bacana de tudo isso é que vcs estavam decididos!!

Deixe uma resposta