Um amor tão ideal, mas não para mim

A gente já viveu e já passou por tanta coisa, que tudo que vai vindo já não nos incomoda mais.

Em meio ao caos de um fim de relacionamento, me encontrei atrás de alguém que pudesse me completar, a verdade é que quando dizem “transbordar” não é bem isso que a maioria de nós no fundo estamos procurando, bom, enfim, percebi que nem tudo eram flores e que a meta de encontrar alguém seria mais difícil do que eu pudesse imaginar….

É fácil estar em um relacionamento a meses, anos, décadas, tudo funciona de forma automática, as desculpas, os passeios, as ideias… Quando saímos do mesmo, ficamos com a essência do outro, alguns costumes, acabamos sempre nos perdendo, grande parte do dia a dia, vemos o outro, a gente fica sem saber onde ir e muito menos por onde começar.

Conquistar é algo muito mais amplo e muito mais difícil do que imaginamos, exige além de tempo, paciência, exige coisas que eu sinceramente, deixei de ter…

Quando parei de procurar, uns 4 meses depois do fim do meu namoro, me encontrei apaixonado, percebi que era a pessoa ideal para mim, se importava comigo, eu me sentia amado, desejado, era meu fã rsrs… Tinha um sorriso lindo, um abraço encantador e por fim, morava longe… Encaramos o namoro, a distância mesmo, aliás tudo parecia ótimo, tudo era ótimo… O tempo foi passando e com ele percebi que não era aquilo de fato o que eu queria pra mim, sempre dizer que o amava além de soar falso na minha cabeça, eu sentia que estava me auto sabotando, o problema não estava no outro, estava em mim, o que havia acontecido? Alguém tão ideal, não parecia tão ideal assim, triste fiquei… Sabia que não era justo com ele, mas não podia magoa-lo futuramente e aquela nossa promessa de ser verdadeiro um com o outro, começou a machucar, bom, terminei.

Doeu em mim, doeu nele, doeu em nós… Aos cacos, não pude voltar com a decisão, fui firme, parecia não passar, quando ele voltava, me machucava mais, pelo fato dele não me odiar… Fui incrível onde deu, até aliança usamos, só não fui capaz de entregar o que era mais de valioso na relação, o amor que ele merecia…

Me sinto bem e estou bem, a verdade é que com a vida a gente percebe que não é oito ou oitenta, que nem sempre é café logo de manhã, percebemos que nem todo fim de semana acaba em pizza, o que dá pra aprender é que tudo é a vida, que um amor ideal, as vezes não é tão ideal assim.

Por: Bruno Lindolpho

10 comentários em “Um amor tão ideal, mas não para mim

  1. Adorei o texto e me identifiquei ao extremo. Esse é um assunto bem complicado mesmo e na maioria das vezes, nem nós sabemos o que queremos

  2. Oi Bruno, tudo bem?

    Que texto maravilhoso, impossível não deixar uma lágrima cair, ainda mais quando me identifiquei com a maioria das palavras, pois representa momentos pelos quais já passei e que me marcaram profundamente. Acho que muitas vezes começamos a viver um relacionamento no modo automático, começos a dizer coisas que realmente não sentimos, apenas pela conveniência e rotina que se estabelece. E isso é ruim, tanto para a pessoa, como para nós mesmos. Amei o texto, parabéns!

    beijos!

  3. esse assunto é tão complicado né? Eu tive um relacionamento bem conturbado um tempo atras, queria morrer quando terminamos, mas depois de um tempo eu comecei a me amar muito e achei a mulher da minha vida, ou quase isso. Estamos felizes pelo menos kkkk

    me identifiquei demais
    parabéns!

  4. Relacionamentos são assim mesmo, complicados e por vezes difíceis de se entender. É melhor terminar do que magoar o parceiro ou acabar se magoando. Viver no automático é a pior coisa que existe.

  5. Seu texto descreveu o que senti por várias vezes em relacionamentos anteriores. Acredito hoje, depois de ter passado por tantos relacionamentos, desejamos demais, idealizamos paixões que muitas vezes só existem nos livros. Parei de correr atrás, precisei me conhecer melhor para depois voltar a ter um relacionamento.

  6. Gostei muito do seu texto, é sincero e tem muito de você e dos seus sentimentos nele. Relacionamentos são complicados, é difícil, pode ser extremamente doloroso mas a verdade é a cumplicidade é sempre o melhor caminho e o melhor ainda está por vir para você.

  7. Que texto intenso!
    Relacionamente é muito complicado, se os dois não tiverem o mesmo pensamento, as vezes não dá tão certo assim.

    Já passei por isso e sei como é doloroso! :/

  8. Gostei muito do texto. É sempre difícil e é um tema complicado, apegamo-nos às pessoas, não é? E depois custa olhar para trás e ver que passámos (talvez) demasiado tempo ali e olhar para o presente e perceber que tudo ficou diferente e fora do sítio, num piscar de olhos. Mas a vida continua e o tempo cura tudo e mostra-nos sempre que o que tiver de ser, será! Força!

Deixe uma resposta